Agenda de Eventos

Agosto/2021

Início

Aluno: Francisco Moreira Alves Junior
Orientador: Cláudia Weber Corseuil, Drª.
Data: 24/08/2021 – 14:00
Local: https://meet.google.com/gmc-iftb-wsu
Título: Mapeamento de índice de risco de inundação devido a rompimento de barragem
Banca: Cláudia Weber Corseuil, Dra.
María Ángeles Lobo Recio, Dra.
Masato Kobiyama, Dr
 Marco Alésio Figueiredo Pereira, Dr
Resumo: As barragens têm um papel importante para a sociedade, porque proporcionam usos múltiplos da água e o desenvolvimento econômico e social de municípios, regiões e países. Entretanto, barragens podem apresentar falhas na sua estrutura, sendo um risco potencial para a população que vive na área a jusante do reservatório. Portanto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o índice de risco de inundação, devido ao rompimento hipotético da barragem de São Bento (SC). O índice de risco foi obtido combinando os índices de perigo e de vulnerabilidade. O perigo obteve-se multiplicando a velocidade pela profundidade da água, simuladas com o modelo hidrodinâmico HEC-RAS. O índice de vulnerabilidade foi determinado usando seis variáveis do censo demográfico de 2010 realizado pelo IBGE. Para simular a onda de cheia com o modelo HEC-RAS 2D, adotou-se como condição de contorno o nível máximo normal de 157,5 m e o volume do reservatório de 58,2 hm³ para o trecho a montante da barragem e uma declividade média de 0,00448 m.m-1, determinada na planície de inundação do trecho a jusante. Para propagar o hidrograma de ruptura utilizou-se uma malha computacional de 136,72 km² com resolução espacial de 15 m x 15 m para a planície de inundação. Para a simulação da propagação do fluxo adotou-se um regime de escoamento “não permanente”, com intervalo de tempo computacional de 15 s. O tipo de ruptura utilizado para formação da brecha foi do tipo galgamento. Os resultados mostraram que, o tempo de formação da brecha acontece em 2,85 horas, ocasionando uma mancha de inundação de 64,8 km², com uma vazão máxima de 3586,60 m³.s-1 e o volume total extravasado de 44,75 hm³. Já o tempo de chegada da onda é de 55 minutos para a comunidade de São Bento Alto, a 6,5 km da barragem, 2 horas e 45 minutos para a comunidade de São Bento Baixo, a 15,5 km, e 4 horas e 30 minutos até a região central de Forquilhinha, a 22 km. A maior área da mancha de inundação possui uma profundidade de até 2 metros e velocidade de até 2 m.s-1, predominando na região agrícola, possuindo uma maior profundidade e velocidade nas calhas dos rios e próximo a barragem. Observou-se no mapa de índice de risco que nas áreas mais próximas da barragem (até 6 km), o risco é alto, mesmo a região apresentando baixa densidade demográfica. Por ser uma área rural, as pessoas estão mais vulneráveis ao perigo da inundação, além disso, nessa região predominam pessoas com 60 anos ou mais e de baixa renda. Ainda, na área possível de ser atingida pela onda de cheia, existem residências, escolas, comércios e indústrias. Nesses locais, as pessoas não estão seguras dentro das edificações, pois estas têm alta probabilidade de serem destruídas devido à velocidade e profundidade da onda de cheia. Assim, o mapeamento de risco pode ser adotado como medida de prevenção, auxiliar na elaboração de um plano de ação emergencial, servir como um instrumento de educação para as comunidades e para o planejamento territorial.

 

Aluno: Francine Gastaldon
Orientador: Tiago Elias Allievi Frizon, Dr.
Data: 05/08/2021 – 13:30
Local: https://meet.google.com/hmc-qztk-xqy
Título: Desenvolvimento de membranas celulósicas suportadas com sílica oriunda da casca de arroz para liberação lenta no solo
Banca: Tiago Elias Allievi Frizon, Dr
Luiz Fernando Belchior Ribeiro, Dr
Claudio Michel Poffo, Dr
 Ana Elisa Casas Botero, Dr
O trabalho consiste no desenvolvimento de membranas celulósicas, funcionalizadas com sílica oriunda da casca de arroz (CA) e da cinza da casca de arroz (CCA), para posterior avaliação de liberação lenta de sílica no solo. Primeiramente foi realizada a extração de sílica presente na CA e CCA através de processo de lixiviação utilizando solução extratora a água Mili-Q e hidróxido de sódio (NaOH) 0,1M. A quantificação de sílica foi determinada através de teste rápido utilizando o método fotocolorimétrico e espectrofotômetro UV Vis. O lixiviado de Casca de Arroz (CA) e Cinza da Casca de Arroz (CCA) resultante do solvente alcalino apresentou quantidade de sílica superior quando comparado ao extrato resultante da utilização da água Mili-Q como solvente. Posteriormente foram desenvolvidas membranas celulósicas utilizando o microrganismo Komagataeibacter Hansenii, seguida de purificação e secagem. As membranas foram impregnadas com os extratos lixiviados e ricos em sílica, com agitação constante durante 24 horas e realização dos testes de liberação lenta da sílica em condições controladas de pH e temperatura.
A caracterização das membranas funcionalizadas foi realizada através de análises estruturais (FTIR), físico-química (pH), microestrutural (MEV) e resistência mecânica. Os resultados indicaram que o lixiviado de Casca de Arroz (CA) e Cinza da Casca de Arroz (CCA) resultante do solvente alcalino apresentou quantidade de sílica superior quando comparado ao extrato resultante da utilização da água Mili-Q como solvente. As membranas de CB suportadas com SiO2 proveniente do extrato aquoso da CA liberaram nas primeiras 24h, 58% da sílica adsorvida enquanto as CB impregnadas a partir da CCA-H2O liberaram 67% da sílica; resultados similares foram obtidos com sílica lixiviada com NaOH, em 24 h apresentou porcentagens de liberação de ≈62 e 60% de SiO2 suportada na CB proveniente do extrato alcalino de CA e CCA, respetivamente.
As membranas apresentaram elevada capacidade de retenção tanto de água como de sílica o que pode ser uma alternativa para diminuir perdas econômicas relativas a solubilização de fertilizantes no setor agrário.
Palavras-chave: Casca de arroz. Cinza da casca de arroz. Sílica. Membrana celulósica. Liberação controlada.

 

Aluno: Maria Cristina Guth
Orientador: Katia Cilene Rodrigues Madruga, Dra.
Data: 04/08/2021 – 10:00
Local: meet.google.com/kav-bdbw-rpe
Título: COOPERATIVISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO AO USO ENERGÉTICO DE BIOGÁS GERADO A PARTIR DE DEJETOS DA BOVINOCULTURA LEITEIRA: UM ESTUDO NO MUNICÍPIO DE MELEIRO/SC
Banca: Katia Cilene Rodrigues Madruga, Dra.
Carla de Abreu D’Aquino, Dra
Leandro Janke , Dr.
As atividades relacionadas à bovinocultura geram resíduos que impactam o meio ambiente. Entretanto, é possível integrar gestão de resíduos ao aproveitamento energético por meio do biogás. No âmbito internacional, o cooperativismo desponta como um mecanismo importante para a promoção de projetos de biogás. Esses projetos têm sido apoiados por políticas públicas. No Brasil o Estado de Santa Catarina destaca-se com relação ao número de cooperativas e tem avançado em políticas públicas orientado para energias renováveis. Dessa maneira, o objetivo geral deste trabalho foi analisar as oportunidades de fomento ao biogás por meio dos dejetos animais oriundos da bovinocultura leiteira no município de Meleiro/SC, considerando o Cooperativismo e as Políticas Públicas orientadas para o setor. Para tanto, foi realizado um estudo de caráter exploratório e qualitativo, cuja metodologia compreendeu a caraterização da pesquisa, o levantamento dos dados do município investigado, o estudo do estado da arte, a elaboração, aplicação e discussão de um questionário direcionado para uma amostra de atores do município de Meleiro, e a análise das oportunidades de fomento ao biogás no município em questão. Entre os resultados principais, constatou-se que o município apresenta sua base econômica significativamente agregada as atividades relacionadas à bovinocultura leiteira, incluindo o serviço oferecido pela cooperativa local, que comercializa seus derivados lácteos. Constatou-se ainda, que os atores do município envolvidos na cadeia produtiva do biogás, representados neste trabalho pela Cooperativa dos produtores de leite e agroindústria familiar rural (CooperColméia); Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (EPAGRI) escritório de Meleiro/SC; Secretaria da agricultura e meio ambiente da Prefeitura Municipal, Sindicato dos trabalhadores agricultores e agricultoras rurais do município de Meleiro/SC, tem interesse e meios de obter recursos para realizar o aproveitamento energético dos dejetos animais para produção de energia renovável e, por ora, não o fazem, principalmente por desconhecimento do tema. Além disso, depreende-se da pesquisa que o cooperativismo local pode contribuir para o fomento do biogás. No entanto, sugere-se que o município elabore futuras Políticas Públicas orientadas para o setor e busque a integração com os atores do conhecimento, dentre eles a Universidade. Assim sendo, a partir da análise dos dados, foram obtidos os subsídios que demonstram as oportunidades para direcionar os atores regionais e municipais com relação à tomada de decisão sobre futuros investimentos em projetos de biogás.

Junho/2021

Aluna: Solange Machado

Orientador (a): Prof. Giuliano Arns Rampinelli

Data:  09 de junho de 2021 – 14:00h

Local: meet.google.com/nog-uwcd-hvo

Título: Análise do mercado de energia elétrica brasileiro para aplicação da arquitetura blockchain: um estudo para fomentar a digitalização, a descentralização e a descarbonização do setor elétrico

Banca examinadora: Prof. Dr. Giuliano Arns Rampinelli

Prof. Dr. Luciano Lopes Pfitscher

Prof. Dr. Martín Augusto Gagliotti Vigil.

Resumo:

A crescente mudança no setor elétrico mundial, principalmente no que tange a geração de energia elétrica, é resultado da viabilização técnica e econômica de tecnologias a partir de recursos renováveis, em especial energia solar fotovoltaica e energia eólica. Considerando o âmbito mundial, a geração de energia elétrica ocorre de forma centralizada e em sua maioria utilizando combustíveis fósseis. No entanto, observa-se a substituição desses combustíveis por recursos renováveis, auxiliando na descarbonização da matriz elétrica de geração centralizada. Ressalta-se a complementaridade desse cenário centralizado de geração a partir da inserção da geração distribuída. Essa descentralização da geração de energia acarreta na injeção direta de energia elétrica na rede de distribuição. As principais formas de injeção de energia na rede, do lado da demanda, são os sistemas fotovoltaicos e os veículos elétricos. Essas tecnologias impactam fortemente na rede de distribuição de energia elétrica, a geração distribuída devido à oferta e demanda de energia elétrica; e os veículos elétricos devido à elevada demanda que podem solicitar e aos auxílios no alívio de carga que podem ofertar. Essas diversas formas de injetar ou demandar energia na rede podem ser transacionadas de forma segura e eficaz, o que pode ser obtido por meio da tecnologia blockchain. O objetivo desta dissertação é analisar o mercado de energia elétrica brasileiro, nos diferentes ambientes de contratação, considerando a disponibilidade de energia pela geração distribuída na rede de distribuição, a fim de possibilitar a aplicação de uma PoC baseada na arquitetura blockchain. Essa análise contemplará estudos da aplicação dessa tecnologia no âmbito mundial, estudos da legislação e regulamentação; definição de métricas dos mercados brasileiros e métricas de impacto nesses mercados, nos agentes, instituições e associações do setor elétrico; uma validação de um estudo de caso e o desenvolvimento de um instrumento de avaliação dos impactos de uma prova de conceito baseada em blockchain aplicada no setor elétrico brasileiro. Os resultados esperados são impactos positivos nos agentes, nas instituições e nas associações do setor elétrico brasileiro reduzindo custos por otimizar seus processos, e promovendo a sustentabilidade por facilitar os mercados de energias renováveis; o desenvolvimento de uma metodologia técnico-científica para avaliar e analisar os impactos de uma solução computacional baseada em blockchain aplicada nos ambientes de contratação de energia elétrica; e impactos técnicos econômicos positivos proporcionados por meio da aplicação de uma solução computacional baseada em blockchain nos contratos de compra e venda de energia elétrica entre comercializadoras.

Abril/2021

Início

Aluno: Rafael da Silva Siqueira
Orientador: Carla de Abreu D’Aquino, Dra.
Data: 30/04/2021 – 10:00
Local: https://meet.jit.si/DefesaMestradoRafaelSiqueira
Título: SISTEMA HÍBRIDO DE FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEL EM BARRAGEM DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA
Banca: Carla de Abreu D’Aquino, Dra
César Cataldo Scharlau ,Dr
Álvaro José Back, Dr.
O acréscimo de novas usinas hidrelétricas e fotovoltaicas, entre outras fontes de energias renováveis, além de contribuir para garantir o atendimento da demanda de consumidores e para reduzir o risco de desabastecimento de energia, irá reduzir a emissão de gases de efeito estufa. Ainda em seus primeiros passos, mas com imenso potencial, a geração de energia elétrica com sistemas híbridos já é uma realidade no Brasil, e pode apresentar uma série de combinações possíveis, dependendo das fontes disponíveis no local. Nesse sentido, este trabalho apresenta um estudo de viabilidade para implementação de um sistema híbrido hidrelétrico fotovoltaico, com a instalação de central geradora hidrelétrica na válvula dispersora da barragem principal e painéis fotovoltaicos sobre o espelho d’água. A barragem do rio São bento foi inaugurada em 2005, com principal objetivo de abastecimento de água potável a região carbonífera do Sul de Santa Catarina e está localizada no município de Siderópolis. Dados hidráulicos, hidrológicos e estruturais dos últimos 5 anos de operação foram analisados. A pré-viabilidade foi estimada com base em equações analíticas. O softwareHOMER foi utilizado para simular diferentes cenários considerando uma planta hibrida hidrelétrica fotovoltaica que atenda a demanda da CASAN, uma planta apenas com a fonte hidrelétrica e uma planta com o potencial máximo de geração híbrida.  Os resultados demonstraram viabilidade para implantação do sistema hibrido que supriria a demanda da CASAN regional por energia elétrica, indicando que a complementaridade energética é um dos caminhos para a sustentabilidade elétrica.

 

Aluno: Geóvio Kroth
Orientador: Giuliano Arns Rampinelli, Dr.
Data: 20/04/2021 – 10:00
Local: meet.google.com/azu-dptt-mvc
Título: Análise de Indicadores de Desempenho e de Qualidade de Energia de um Sistema Fotovoltaico com Distintos Fatores de Dimensionamento de Inversor
Banca: Luciano Lopes Pfitscher, Dr
Leonardo Elizeire Bremermann, Dr
Alexandre José Bühler, Dr.
A instalação de sistemas fotovoltaicos apresenta crescimento nos últimos anos no Brasil, tanto na geração centralizada quanto na geração distribuída. Frequentemente os sistemas de micro geração distribuída são instalados aproveitando-se a estrutura dos telhados e coberturas das edificações. A integração ou aplicação de sistemas fotovoltaicos em edificações, não raramente, implica em instalações não ótimas quanto aos ângulos de inclinação e de azimute. O impacto destas características não ótimas no desempenho do sistema fotovoltaico pode ser estudado a partir de simulação em software ou a partir do monitoramento dos sistemas fotovoltaicos. Esta Dissertação analisa o desempenho energético e aspectos relacionados à qualidade de energia elétrica de um sistema fotovoltaico integrado à edificação do Campus Criciúma do IFSC, considerando os fatores de dimensionamento dos inversores (FDI) do sistema e a orientação azimutal de seus arranjos de módulos fotovoltaicos. Esse sistema tem potência de 73,28 kWp, e é composto por 5 inversores de 15 kW e 229 módulos fotovoltaicos de 320 Wp. Os dados de desempenho do sistema foram obtidos a partir de sistema online do fabricante dos inversores. Foram analisados os dados de dois anos de operação do sistema, entre novembro de 2017 e outubro de 2019. Os parâmetros referentes à qualidade de energia elétrica foram obtidos por meio de um analisador de energia, sendo que as medições foram realizadas individualmente nos subsistemas em intervalos de uma semana a um mês. Em relação ao desempenho do sistema, observou-se que a produtividade ou rendimento final médio diário anual foi de 3,67 kWh/kWp no primeiro ano e de 3,29 kWh/kWp no segundo ano, sendo que os valores máximos de rendimento final médio diário mensal foram de 4,77 kWh/kWp e 5,10 kWh/kWp, registrados em dezembro de cada ano. A taxa de desempenho ou razão de desempenho teve médias mensais anuais de 81,63 % e 89,06 %, sendo que o valor máximo mensal foi de 95,4 %, e o valor mínimo mensal foi de 75,7 %. O fator de capacidade médio mensal anual foi de 14,67 % e 13,72 %, sendo que a diminuição foi ocasionada pela menor irradiação solar registrada no segundo ano de análise. O valor máximo mensal desse índice foi de 21,24 %, no verão, e o valor mínimo mensal foi de 7,95 % em um mês de inverno. Os valores médios mensais anuais de geração de energia elétrica nos dois anos foram de 7.830 kWh e 7.330 kWh, com valor máximo mensal de 11.580 kWh e valor mínimo mensal de 4.330 kWh. As maiores perdas registradas foram as de captura, com médias mensais anuais de 15,1 % e 7,6 %. No âmbito da dissertação também foi realizada a análise individual dos subsistemas, comparando-se o desempenho para subsistemas com fatores de dimensionamento de inversor (FDI) diferentes. O subsistema 1, com FDI de 1,12, apresentou os índices de taxa de desempenho, rendimento final, eficiência global e fator de capacidade superiores nos meses próximos ao inverno, e inferiores nos meses próximos ao verão, em relação ao subsistema 2, de FDI 0,76. As perdas foram maiores no subsistema 2 no verão, devido principalmente aos cortes de potência em virtude do menor FDI desse subsistema. Ao se analisar subsistemas com arranjos em diferentes orientações azimutais, sendo o subsistema 1 de orientação norte e o subsistema 5 com orientação leste-oeste, constatou-se que os índices de desempenho não apresentaram diferenças significativas entre os dois subsistemas, considerando as diferentes épocas do ano. Excetue-se a taxa de desempenho, que, nos meses próximos ao inverno foi menor para o subsistema 5. As perdas apresentaram valores próximos para os dois subsistemas nos meses de verão, e superiores para o subsistema 5 nos meses de inverno. As poucas diferenças entre os índices se devem à baixa inclinação dos arranjos, que é de 10 ° apenas. A análise dos índices de qualidade de energia mostrou que há distorção de tensão na rede de conexão dos subsistemas, mas em valores totais em torno de 5,0 %, o que está dentro das normativas. Já a distorção harmônica total de corrente (THDi), para valores de potência relativa inferiores a 10 %, apresentou valores elevados. Em potências relativas próximas a 100 % foi constatado, via modelagem matemática que a THDi dos os subsistemas 1, 2 e 5 ficou em torno de 3,6 %. As componentes harmônicas de maior influência na THDi foram as de ordem 5 e 7. O fator de potência apresentou valores também dependentes da potência relativa, sendo constatado que, para valores de potência relativa superiores a aproximadamente 8,5 %, o fator de potência assume valores superiores 0,92, que é o mínimo exigido pelas normativas vigentes. Constatou-se também que, entre 20 % e 100 % da potência relativa, o fator de potência é praticamente constante e igual a 1.

Dezembro/2020

Início

Aluno: Ruana Tomaz de Souza
Orientador: Kátia Cilene Rodrigues Madruga, Dr(a)
Data: 23/12/2020 – 19:00:00
Local: meet.google.com/ikw-gfju-yxe  
Título: EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E PROTEÇÃO CLIMÁTICA: METODOLOGIA DE ENSINO PARA EDUCAÇÃO BÁSICA COMO INSTRUMENTO DE APOIO PARA IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS 
Banca: Kátia Cilene Rodrigues Madruga, Dr(a).
Claus Tröger Pich, Dr(a).
Mônica Knöper, Dr(a).
Resumo: Políticas públicas são ações, programas e atividades desenvolvidas pela união, estados e municípios para atender diversas áreas como saúde, educação, meio ambiente, habitação, assistência social, lazer, transporte e segurança, a fim de promover o bem estar social. A produção de energia e as mudanças climáticas são temas que se inter-relacionam e têm impactos diretos sobre o desenvolvimento socioeconômico, a proteção ambiental e a agenda das políticas públicas nos níveis global e local. Sabe-se que a educação é um dos elementos fundamentais para que essas políticas possam ser implantadas. Entretanto, temas como eficiência energética e proteção climática, praticamente, não fazem parte das discussões no ambiente escolar nacional. Em contraponto, em outros países, especialmente, as mudanças climáticas têm sido discutidas por crianças e jovens dentro e fora da sala de aula. Diante deste cenário, o objetivo desta pesquisa foi propor e analisar uma metodologia de ensino, para educação básica como instrumento de apoio para a implementação de Políticas Públicas para Eficiência Energética e Proteção Climática. Para tanto, foi realizado um estudo qualitativo, exploratório e descritivo. Seus procedimentos incluíram pesquisa bibliográfica, documental e pesquisa ação. Os sujeitos desta pesquisa foram alunos de duas escolas da rede pública de ensino básico do município de Araranguá, SC, com idade entre 10 e 13 anos. Entre os seus resultados foi possível verificar que a metodologia proposta e analisada, nesta pesquisa, evidenciou resultados positivos quanto à aprendizagem dos alunos e com potencial para servir com um instrumento de apoio para a implementação das políticas públicas no sentido de transformar as intenções dessas políticas em ações e resultados. Por meio da educação escolar, é possível não somente mudar hábitos como também formar cidadãos, cônscio de suas responsabilidades em relação a si mesmo, ao outro e ao meio ambiente o que implica em usar os recursos de forma racional e proteger o clima.

Novembro/2020

Início

Defesa de Mestrado PPGES
Aluno: Amarfelina Fernandes de Oliveira de Aguiar
Orientador:

Coorientador:

Maria Angeles Lobo Recio, Dr(a)

Cláudia Weber Corseuil, Dr(a)

Data: 30/11/2020 – 14:00
Local: meet.google.com/vvq-amuu-jkm
Título: Regionalização de vazões mínimas diárias e mensais para bacias hidrográficas no sul do Brasil
Banca: Nilza Maria dos Reis Castro, Dr(a).
Álvaro José Back, Dr(a).
Carla de Abreu D’aquino, Dr(a).
Resumo: Conhecer a disponibilidade hídrica das bacias hidrográficas é fundamental para o gerenciamento dos diversos usos da água. Essa disponibilidade pode ser estabelecida pela análise das vazões, por meio da curva de permanência, usando dados mensais e diários medidos em estações fluviométricas. No entanto, a elaboração das curvas de permanência pode ser prejudicada pela inexistência ou pela baixa densidade de estações fluviométricas, que não abrange a totalidade da bacia ou dos locais de interesse. Assim, com a finalidade de suprir essa deficiência, a regionalização de vazões tem sido uma técnica amplamente utilizada. Esse método possibilita transferir informações de vazões de um local para outro, dentro de uma área com comportamento hidrológico semelhante. Neste contexto, o presente trabalho teve por objetivo avaliar as vazões de permanência Q50, Q90, Q95 e Q98, mensais e diárias, estimadas através do método tradicional de regionalização, para as bacias dos rios Araranguá, Tubarão e Urussanga, localizadas no sul de Santa Catarina. Foram utilizadas equações de regressão lineares e potenciais para estimar as vazões de permanência. Na regionalização foram utilizadas as variáveis explicativas, como: área de drenagem, precipitação média anual e declividade média da bacia. Para avaliar o desempenho das equações de regressão linear e potencial e das variáveis explicativas foram utilizados: o coeficiente de determinação (R2), coeficiente de determinação ajustado (R2a) e erro padrão fatorial (σF). Para a identificação das regiões homogêneas as variáveis que tiveram melhor desempenho foram área de drenagem, precipitação média da bacia e declividade média bacia. Como resultado, foram delimitadas duas regiões hidrologicamente homogêneas (RHH I e RHH II). Dos modelos testados os que apresentaram melhores resultados foram o potencial e linear com valores de R2 >0,90, R²a > 0,83 e σF<0,44. Verificou-se que, no geral, a diferença em magnitude entre as vazões observadas e estimadas foi pequena. Desta forma, o presente estudo mostrou a importância da regionalização das vazões de permanência, as quais permitem a extrapolação das vazões Q50, Q90, Q96 e Q98 nas bacias do presente trabalho, a fim de auxiliar os estudos hidrológicos que necessitam dessas informações em locais com escassez de dados, bem como os gestores nos processos de outorga de uso da água nas bacias do sul de Santa Catarina.

Palavras-chave: Curva de permanência. Regionalização hidrológica. Vazões mínimas

Outubro/2020

Início

Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Débora de Medeiros Domingos
Orientador: Claus Tröger Pich, Dr(a)
Data: 27/10/2020 – 09:00
Local: https://meet.google.com/hmq-wpfa-asi
Título: Toxicidade das cinzas volantes geradas pela utilização de madeira tratada com arseniato de cobre cromatado (cca) como material combustível.
Banca: Claus Tröger Pich, Dr(a).
Reginaldo Geremias, Dr(a).
Elidio Angioletto, Dr(a).
Kátia Cilene Rodrigues Madruga, Dr(a).
Maria Ángele Lobo Recio, Dr(a). (Suplente interno)
Tiago Bortolotto, Dr(a). (Suplente externo)
Resumo: Devido à utilidade da madeira e pensando na sua durabilidade, utilizam-se preservantes, substâncias tóxicas, com ação inibidora de agentes biodeterioradores como o arseniato de cobre cromatado (CCA). Madeira tratada com CCA aumenta gradualmente como passar dos anos. Problemas sérios surgirão de grandes quantidades de resíduos de madeira tratada com CCA. Muitos estudos investigaram maneiras de descartar eficientemente a madeira tratada com CCA, utilizando-as como combustíveis de formos e estufas, mas o grande problema é a quantidade de compostos químicos tóxicos que são liberados em sua utilização como combustível. Entretanto, em respeito ao meio ambiente e à saúde pública seu uso é polêmico, devido seu alto ter de toxicidade. O objetivo deste trabalho é determinar os efeitos toxicológicos das cinzas volantes das queimas de madeira tratada com CCA comparada com as cinzas volantes das queimas madeira não tratada. Para as análises de toxicidade, amostras de madeira tratada e não tratada foram adquiridas do comercio local para realização de queima controlada. O material particulado foi precipitado em garrafas contendo como solvente meio ácido e água. As amostras de material precipitado em ácido foram utilizadas para realizar análises físico- químicas e as amostras coletadas em água para análises de toxicidade e gentoxicidade. As análises físico –químicas demonstraram a presença do arsênio em maior quantidade, de cromo em pouca quantidade, respectivamente em média de 0,46mg/mL e de 0,11mg/mL dos constituintes do arseniato de cobre cromatado (CCA), nas amostras dos efluentes de cinzas volantes as queima da madeira tratada, nas amostras dos efluentes das cinzas volantes da queima de madeira não tratada os valores encontrados foram abaixo do limite de quantificação. Entretanto nas análises de HPA ambas as amostras mostraram a presença quantitativa de compostos de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos resultando na toxicidade de ambas as amostras dos efluentes das cinzas volantes. As análises de toxicidade revelaram alto teor de toxicidade agudo e subagudo nas plantas Lactuca sativa e Allim cepa L e nos microcustáceo Artemia spp referente as amostras das cinzas volantes da queima de madeira tratada, nos testes antimicrobianos a bactéria Staphylococcus aureus foi vulnerável aos efluentes das cinzas volantes da queima de madeira tratada na concentração de 85%, no restante das concentrações e coma na bactéria Escherichia coli os resultados não demonstraram diferença significativa entre os efluentes das cinzas volantes. Nos ensaios genotóxicos, o teste de clivagem de DNA Plasmidial in vitro mostrou que ambas as amostras de cinzas volantes promovem a quebra de moléculas de DNA com diferença significativa entre as amostras de cinzas volantes. No teste de MTT o efeito citotóxico nas células NH3T3 foram significativos nas concentrações de 25 e 50% revelando uma maior citotoxicidade dos efluentes das cinzas volantes da queima de madeira tratada em relação aos efluentes das cinzas volantes da queima de madeira não tratada. Ambas as amostras de efluentes de cinzas volantes causaram hemólise em eritrócitos humanos nas concentrações de 50, 75 e 90%. O efluente das cinzas volantes da queima de madeira tratada com CCA desempenha um papel importante nos efeitos toxicológicos, genotóxico e ecotóxico superiores aos efluentes das cinzas volantes da queima de madeira não tratada.

 

Palavras-chave: CCA. Combustível. Madeira tratada. Toxicologia. Ecotoxicologia.


Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Filipe Henrique
Orientador: Reginaldo Geremias, Dr(a)
Data: 15/10/2020 – 18:30
Local: meet.google.com/nhy-tsvz-igw
Título: Estudo para incorporação de indicadores de emprego e renda e emissão de CO2 para fins de análise da dinâmica financeira relacionada à proposta de alteração da resolução 482/2012 da ANEEL
Banca: Reginaldo Geremias, Dr(a).
Giuliano Arns Rampinelli, Dr(a).
César Cataldo Scharlau, Dr(a).
João Batista Dias, Dr(a).
Alexandre José Bühler, Dr(a).
Resumo: A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL)  estuda uma mudança no modelo de tributação da energia gerada pelas usinas no formato de micro e minigeração, incluindo a solar fotovoltaica, por meio da “Revisão das regras aplicáveis à micro e minigeração distribuída – Resolução Normativa nº 482/2012 Relatório de Análise de Impacto Regulatório nº 0004/2018-SRD/SCG/SMA/ANEE”. As mudanças propostas pela ANEEL causam um impacto financeiro ao investidor, mudando a atratividade dos empreendimentos solares, piorando o retorno do investimento e, consequentemente, mudando os rumos do setor. A presente pesquisa tem como objetivo geral avaliar a incorporação de dados de geração de emprego e renda e de redução de emissões de CO2 para fins de análise da dinâmica financeira que poderão subsidiar a proposição de alternativas para o modelo do Sistema de Compensação de Energia Elétrica propostas na Revisão das Regras Aplicáveis à Micro e Minigeração distribuída preconizado na Resolução Normativa nº 482/2012 da ANEEL. Para este propósito, dentre outras atividades, propõe-se: estudar o estado da arte dos temas voltados à pesquisa; avaliar os impactos na economia em decorrência da geração de emprego e renda e da valoração do mercado de emissões de CO2, com foco no setor fotovoltaico; estudar o comportamento no balanço financeiro apresentado pela ANEEL, em decorrência do uso dos dados de geração de emprego e renda e valoração do mercado de emissões de CO2 de forma individual e conjunta. A expectativa é de que a presente pesquisa sirva como subsídio para o fomento à pesquisa científica referente e tomadas de decisões relativas ao ordenamento jurídico e ao mercado do setor fotovoltaico do País.

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: MARIA CRISTINA GUTH
Orientador: Katia Cilene Rodrigues Madruga, Dr(a)
Data: 08/10/2020 – 16:00
Local:  Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: ESTUDO DO POTENCIAL DE GERAÇÃO DE BIOGÁS A PARTIR DA BOVINOCULTURA LEITEIRA NA MICRORREGIÃO DE ARARANGUÁ/SC
Banca: Katia Cilene Rodrigues Madruga, Dr(a).
Elaine Virmond, Dr(a).
Leandro Janke, Dr(a).
Resumo: O Brasil é um dos maiores produtores agropecuários do mundo e consome grande quantidade de energia para processar os produtos dessas atividades, que por sua vez, geram considerável quantidade de resíduos e emissões. No entanto, acordos mundiais realizados nas últimas décadas, quando foram assumidos compromissos para diminuir as emissões de gases de efeito estufa, trouxeram ao país a obrigatoriedade de reduzir o uso de combustíveis fosseis e de criar novos marcos regulatórios capazes de fomentar o desenvolvimento das energias consideradas renováveis. Isso implica também buscar tecnologias capazes de realizar a sua aplicação e garantir a segurança alimentar e energética, de forma sustentável e não poluente. Diante desse panorama, a utilização do biogás oriundo do aproveitamento da biomassa residual das atividades agrícolas vem crescendo significativamente no Brasil. O Estado de Santa Catarina destaca-se no território nacional por ter um setor agropecuário ativo e bem estruturado e por ser um dos primeiros a criar uma lei específica para o biogás. Dessa maneira, o objetivo geral do presente estudo é identificar o potencial para geração de biogás a partir das atividades da bovinocultura leiteira desenvolvidas nas propriedades rurais da microrregião de Araranguá/SC, com ênfase para os municípios de Araranguá, Meleiro e Turvo. A pesquisa de carácter quali-quantitativo será realizada por meio de revisão bibliográfica e documental e da coleta de informações junto a uma amostra de atores nos três municípios referidos. Entre os resultados esperados está a produção de subsídios científicos sobre o potencial de geração de biogás a partir dos resíduos da bovinocultura leiteira na microrregião de Araranguá/SC.


Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Gustavo Henrique Araujo dos Santos
Orientador: Reginaldo Geremias, Dr(a)
Data: 01/10/2020 – 16:30
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Caracterização, potencial energético e emissões de gases do efeito estufa dos resíduos sólidos urbanos do município de Xangri-Lá (RS)
Banca: Reginaldo Geremias, Dr(a).
Kátia Cilene Rodrigues Madruga, Dr(a).
Elaine Virmond, Dr(a).
Jeane E. A de Lima
Resumo: O aterro sanitário é a tecnologia para tratamento dos resíduos com o menor custo de implantação e operação comparado às demais tecnologias de tratamento e valorização dos resíduos. Quando os resíduos são depositados no aterro, iniciam-se processos de biodegradação da matéria orgânica que resultam em chorume e biogás. Dentre os diversos gases que constituem o biogás, o metano (CH4) se destaca por sua maior concentração, seu poder calorífico e pelos efeitos deletérios a atmosfera. A queima do CH4 resulta, principalmente, em dióxido de carbono (CO2) biogenético, que não contribui para o aquecimento global. Nesse sentido, este trabalho tem por objetivo caracterizar os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) do município de Xangri-Lá, bem como estimar o potencial energético, as emissões evitadas de Gases de Efeito Estufa (GEE) e a viabilidade econômica e financeira de uma usina de valoração energética de gás de aterro. Os resultados preliminares demostraram que foram encaminhados 9.189,29 t de RSU do município ao aterro sanitário no ano de 2018 e que a fração majoritária (76,70% do peso total) é constituída por matéria orgânica. Observou-se um percentual expressivo da geração de RSU domiciliar na alta temporada de turismo de litoral (Janeiro, Fevereiro e Dezembro), com média mensal de 1.592,75 t em comparação com a baixa temporada, com média mensal de 534,71 t. Espera-se demostrar que os RSU do município de Xangri-Lá possuem viabilidade econômica e financeira para geração de energia elétrica e assim contribuir para a mitigação de problemas ambientais relacionados aos aterros.

Setembro/2020

Início


Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Francisco Moreira Alves Junior
Orientador: Cláudia Weber Corseuil, Dr(a)
Data:  11/09/2020 – 09:30
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Mapeamento de risco de inundação de área a jusante de uma barragem em caso de rompimento, usando modelo HEC-RAS 2D.
Banca: Cláudia Weber Corseuil, Dr(a).

María Ángeles Lobo Recio, Dr(a).

Masato Kobiyama, Dr(a).

Resumo: A região sul de Santa Catarina tem uma diversidade de atividades que utilizam barragens para regularização de vazão para fins de abastecimento de água, irrigação, mineração e geração de energia. Porém, junto aos benefícios provenientes da construção de uma barragem são apresentados os riscos devido a possibilidade de sua ruptura. Os danos causados pelo rompimento de uma barragem geralmente são catastróficos, ocasionando prejuízos financeiros, ambientais e perdas de vidas humanas. A barragem do rio São Bento está localizada no município de Siderópolis, está inserida na bacia hidrográfica do rio São Bento, sendo classificada como categoria de risco baixo, porém com dano potencial associado alto. Neste contexto, o presente estudo irá simular o rompimento hipotético da barragem do rio São Bento através do modelo hidrodinâmico bidimensional HEC-RAS 2D, que é um software de domínio público desenvolvido pelo Hydrologic Engineering Center (HEC) do United States Army Corps of Engineers (USACE), sendo uma ferramenta amplamente utilizado no mundo. Para simular a onda de cheia devido ao rompimento de barragem, serão utilizados os seguintes dados de entrada no software: (a) topografia do vale a jusante; (b) parâmetros da brecha; (c) coeficiente de Manning; (d) volume do reservatório. Como resultados esperados pretende-se obter os seguintes mapas: (a) velocidade de fluxo da água; (b) profundidade do fluxo; (c) perigo de inundação; (d) vulnerabilidade e (e) risco de inundação. Com todos os mapeamentos definidos, espera-se que possa ser uma ferramenta útil para o planejamento do uso e ocupação do solo na área de estudo. Criando assim, medidas preventivas em relação a áreas passíveis de inundação.

Agosto/2020

Início

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Charles Londero
Orientador: Elise Sommer Watzko, Dr(a)
Data: 28/08/2020 – 14:00
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Co-combustão da casca de arroz com glicerol e aplicação das cinzas em substituição parcial do cimento no concreto.
Banca: Elise Sommer Watzko, Drª.

Elaine Virmond, Drª.

Tatiana Gisset Pineda Vásquez, Dr(a).

Thiago Fernandes Aquino (SATC)

Resumo: A casca de arroz, atualmente é amplamente utilizada como fonte de energia nas próprias indústrias de beneficiamento de arroz, desde sua utilização como combustão para geração de energia térmica nos processos da indústria, quanto para processos agregados na própria planta fabril. O objetivo deste trabalho é adicionar outro resíduo na combustão da casca de arroz, o Glicerol Residual obtido na produção de biodiesel, e avaliar o potencial uso da cinza obtida da combustão, como material de substituição parcial em volume ao Cimento Portland na produção de concretos autoadensáveis. A combustão será realizada em uma Caldeira Grelha de Escadas com queima controlada. O experimento contará com 6 análises diferentes da combustão, a primeira análise referência, sem adição de glicerol e com parâmetros padrões de queima, e outras 3 analises adicionando 5%, 12,5% e 20% de Glicerol em substituição mássica com relação à CA, variando os parâmetros de temperatura e entrada de ar, com duplicatas no ponto central (12,5%). Após a combustão, as amostras de cinza coletadas serão levadas para análises química e física, onde será definido a amostra de cinza com maior reatividade pozolânica e com melhores propriedades para substituição parcial do cimento no concreto. Para a confecção de corpos-de-prova de concreto, serão produzidas amostras de concreto referência (sem adição de cinza), e outros 3 traços de concreto com 10%, 15% e 20% de cinza em substituição ao cimento. Os testes de resistência serão realizados com 3, 7 e 28 dias de cura dos corpos-de-prova. Ao adicionar Glicerol na queima da casca, espera-se aumentar a eficiência de combustão da caldeira, variando os parâmetros, buscando a produção de cinza com alta reatividade pozolânica, aumentando a resistência das amostras de concreto com relação à amostra referência. A pesquisa irá produzir resultados importantes para a indústria do biodiesel, tendo em vista a grande quantidade de glicerol residual do processo e seu alto custo para purificação, agregando destino e valor para esse resíduo. Além disso, a cinza da combustão poderá agregar propriedades ao concreto, melhorando sua performance e diminuindo o consumo de cimento, resultando em uma economia circular ao processo, com economia financeira à indústria do concreto e ganhos de sustentabilidade ao ciclo como um todo.

Julho/2020

Início


Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Francine Gastaldon
Orientador: Tiago Elias Allievi Frizon, Dr(a)
Data: 31/07/2020 – 15:00
Local: Videoconferência
Título: Desenvolvimento de membranas celulósicas suportadas com sílica oriunda da casca de arroz para liberação lenta no solo
Banca: Tiago Elias Allievi Frizon, Dr(a).
Luiz Fernando Belchior Ribeiro, Dr(a).
Reginaldo Geremias, Dr(a).
Resumo: RESUMO  O trabalho consiste no desenvolvimento de membranas celulósicas, funcionalizadas com sílica oriunda da casca de arroz (CA) e da cinza da casca de arroz (CCA), para posterior avaliação de liberação lenta de sílica no solo. Primeiramente foi realizada a extração de sílica presente na CA e CCA através de processo de lixiviação utilizando solução extratora a água Mili-Q e hidróxido de sódio (NaOH) 0,1M. A quantificação de sílica será determinada através de teste rápido utilizando o método fotocolorimétrico e espectrofotômetro UV Vis. O lixiviado de Casca de Arroz (CA) e Cinza da Casca de Arroz (CCA) resultante do solvente alcalino apresentou quantidade de sílica superior quando comparado ao extrato resultante da utilização da água Mili-Q como solvente. Posteriormente foram desenvolvidas membranas celulósicas utilizando o microrganismo Komagataeibacter Hansenii, seguida de purificação e secagem. A metodologia para verificar a liberação da sílica consistiu em utilizar os extratos lixiviados através do método de imersão das membranas com agitação constante durante 24 horas.  Na sequência serão desenvolvidas membranas celulósicas utilizando o microrganismo Komagataeibacter Hansenii, seguida de purificação e secagem. As membranas serão impregnadas com os extratos lixiviados de sílica com agitação constante durante 24 horas e finalmente serão realizados os testes de liberação lenta da sílica em condições controladas de pH e temperatura. A caracterização das membranas funcionalizadas será realizada através de análises estruturais (FTIR), físico-química (pH), térmica (TGA, DSC) e microestrutural (MEV). Resultados preliminares indicaram que o lixiviado de Casca de Arroz (CA) e Cinza da Casca de Arroz (CCA) resultante do solvente alcalino apresentou quantidade de sílica superior quando comparado ao extrato resultante da utilização da água Mili-Q como solvente. 

 

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: JULIANA PEREIRA PIMENTEL MACARINI
Orientador: CLAUS TRÖGER PICH, Dr(a)
Data: 31/07/2020 – 10:00
Local: Videoconferência
Título: AVALIAÇÃO ECOTOXICOLÓGICA DE LIXIVIADO PROVENIENTE DE CINZAS DE CASCAS DE ARROZ UTILIZADAS PARA GERAÇÃO DE ENERGIA.
Banca: CLAUS TRÖGER PICH, Dr(a).
REGINALDO GEREMIAS, Dr(a).
RICARDO ANDREZ MACHADO DE ÁVILA, Dr(a).
Resumo: O arroz (Orysa sativa, L) é a cultura mais cultivada no mundo, e tem um cenário grandioso no Brasil, em especial no Sul do país onde o estado de Santa Catarina destaca-se como o segundo maior produtor nacional do grão. O grão, após passar pelo processo de beneficiamento gera em torno de 22% do seu peso em casca e por se tratar de um material em abundância e com alto poder calorífico, apresenta forte potencial para obtenção de energia através da sua queima. A queima da casca de arroz agrega valor ao produto final e gera economia financeira as agroindústrias, assim como, assume papel importante na busca por energias de fontes renováveis, diversificando a matriz energética onde o consumo mundial aponta crescimento contínuo. Contudo esta queima gera outro resíduo: as cinzas, que na maioria das vezes são depositadas no solo, pelos agricultores, a fim de condicionar e adubar para o plantio. Porém, estudos apontam concentrações de metais como Mn nas cinzas da casca de arroz utilizadas para a geração de energia que podem ser altamente tóxicas para o meio, podendo provocar impactos significativos para solos e plantações através da contaminação de corpos d’água. O presente estudo tem o objetivo de avaliar o potencial toxicológico e genotoxicologico do lixiviado obtido através das cinzas da casca de arroz para a geração de energia, em testes com modelos biológicos, utilizando Lactuca sativa, Allium Cepa, Artemia sp., bactérias Staphylococcus aureus e Escherichia coli e células de fibroblastos linhagem NIH3T3. 

 

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Luiz Henrique Zim Alexandre                                                             
Orientador: Regina Vasconcellos Antônio, Drª.
Coorientador: Elise Sommer Watzko Drª.
Data:  30 de julho de 2020 – 14h(quinta-feira)
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Desenvolvimento de Células Combustíveis Microbianas (CCM) acoplada a Barreira Reativa Permeável (BRP) para geração de energia elétrica e tratamento de Drenagem Ácida de Mina (DAM)
Banca: Maria Ángeles Lobo Recio, Drª.

Tatiana Pineda Vásquez, Drª.

Resumo: A Drenagem Ácida de Mina (DAM) é um problema ambiental mundialmente conhecido que tem como características efluentes com pH extremamente baixo (<4), alta concentração de metais pesados (Zn, Fe, Al, Mn, Cu, Cd) e alta toxicidade. Por estes motivos, novos métodos de tratamento de DAM mais efetivos e de menor custo, estão sendo desenvolvidos com o passar dos anos. As Células Combustíveis Microbiológicas (CCM), apresentam-se como uma alternativa inovadora e promissora para o tratamento de efluentes e que, adicionalmente, geram energia pela atividade metabólica dos microrganismos, tornando-se autossustentáveis. A revisão da literatura com respeito às estratégias de  tratamento de DAM utilizando tecnologias CCM mostra que a redução de metais pesados e a modificação do pH, são dependentes, dentre outros aspectos, da arquitetura da célula, da presença e tipo de membrana trocadora de cátions, do tipo de microrganismos e dos mecanismos de oxidação do ferro ou redução do sulfato, da razão DQO/sulfato, os quais impactarão no potencial de geração de corrente e potência elétrica. A energia para promoção das atividades microbiológicas provém da degradação de uma fonte de matéria orgânica. Neste estudo serão avaliados o potencial de geração de corrente elétrica, elevação de pH e redução de sulfato em CCM de câmara dupla, cuja câmara catódica será alimentada com meio artificial, mimetizando uma DAM, contendo sulfato, Fe II e acidez e lodo residual do tratamento de efluentes domésticos, na câmara anódica. Nas câmaras anódicas e catódicas, as reações de oxidação e redução serão catalisadas por cultura mista presente no lodo e microbiota enriquecida em bactérias redutoras do sulfato, respectivamente. Propõe-se, através de planejamento experimental com variáveis quantitativas e categóricas com repetições de valores médios, totalizando 8 experimentos, avaliar os efeitos da razão de demanda química de oxigênio e sulfato (DQO/Sulfato) do catolito de uma CCM e o uso de e dois polímeros aplicados como membrana trocadora de cátions (celulose bacteriana e Nafion) , sobre o pH final, remoção de ferro, redução do sulfato e geração de energia elétrica. A partir dos resultados obtidos nesses ensaios, serão definidas condições experimentais para ensaios utilizando DAM real coletada em ambiente natural. Adicionalmente, em todos os experimentos as câmaras catódicas serão parcialmente preenchidas com casca de arroz que servirá como uma barreira permeável que será avaliada quanto ao seu potencial adsortivo sobre os metais presentes na DAM artificial e real. Os resultados esperados são o estabelecimento de condições experimentais que possam ser utilizadas na ampliação da escala de bancada para possíveis desenhos de processos a serem aplicados como protótipo para a geração de eletricidade simultaneamente ao tratamento de DAM ou de águas com altos teores de sulfato, acidez e metais pesados.

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Isabel Conceição de Brida
Orientador: Reginaldo Geremias, Dr.
Data:  10 de julho de 2020 – 15h (sexta-feira)
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Utilização de geopolímero à base de cinza da casca de arroz e resíduo cerâmico (CCA-RC) como adsorvente para redução de acidez e remoção de íons metálicos em drenagem ácida de mina de carvão (DAM).
Banca: Tatiana Gisset Pineda Vásquez, Drª.

Maria Angeles Lobo Recio, Drª.

Carlyle Bezerra de Menezes, Dr.

Resumo: Pesquisas voltadas a processos de remediação de Drenagem Ácida de Mina (DAM), bem como de valoração de resíduos da indústria cerâmica e da rizicultura para minimizar os seus efeitos negativos sobre o meio ambiente  são importantes demandas na região Sul catarinense. Neste contexto,  o objetivo  geral da presente pesquisa é avaliar o potencial de redução da acidez e de adsorção dos íons Fe e Mn em DAM, utilizando geopolímero à base de cinza da casca de arroz e resíduo cerâmico (CCA-RC) como adsorvente, bem como analisar os parâmetros cinéticos, isotérmicos e termodinâmicos envolvidos neste processo. Para tanto, será afetuada a caracterização do gepoplímero e da DAM,  realizados testes de adsorção de íons H3O+ e de íons Fe e Mn, bem como a avaliação de parâmetros cinéticos, isotérmicos e termodinâmicos .Também serão  executados ensaios de remoção de Fe e Mn e redução da toxicidade da DAM tratada com o geopolímero e comparados  com valores previstos na legislação. Os resultados serão socializados por meio da divulgação em eventos científicos e em periódicos especializados. A expectativa é de que o geopolímero em estudo possa servir como alternativa de remediação de drenagem ácida de mineração de carvão, minimizando os seus impactos ambientais negativos.

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Maria Luísa Tonetto
Orientador: Maria Ángeles Lobo Recio, Drª.
Data:  14 de julho de 2020 – 14h30 (terça-feira)
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Remoção de corante têxtil de meios aquosos pelo processo de adsorção utilizando Celulose Bacteriana em coluna de leito fixo
Banca: Tatiana Pineda Vásquez, Drª.

Regina Vasconcellos Antonio, Drª.

Derce de Oliveira Souza Recouvreux, Drª.

Resumo: As indústrias têxteis ocupam um papel de destaque na economia brasileira. Contudo, seu crescente desenvolvimento resulta na geração ainda maior de resíduos. Estas indústrias geram efluente com forte coloração, devido ao fato de parte deste não se fixar completamente à fibra. O efluente têxtil possui elevada carga de corantes e, quando liberado em águas residuais sem tratamento, impede que a luz solar penetre, impossibilitando a fotossíntese, comprometendo taxas de oxigênio dissolvido e causando danos na fauna e flora.  O tratamento de efluentes têxteis pode ser realizado por distintos métodos, porém, a adsorção tem se mostrado eficaz pois apresenta alta eficiência e versatilidade, além de que, quando utilizados adsorventes alternativos o custo do processo é reduzido. Este trabalho terá como objetivo estudar a adsorção do corante Índigo Carmim (IC) em sistema de leito fixo, utilizando como adsorvente a Celulose Bacteriana (CB). Será realizado um planejamento fatorial para verificar os melhores parâmetros de produção de CB e também um planejamento fatorial completo para os ensaios de adsorção em leito fixo, para desta forma obter as condições que podem favorecer o processo de adsorção do corante. O adsorvente será caracterizado por meio de microscopia eletrônica de varredura (MEV); análise granulométrica através de imagens digitais e qualitativamente por espectroscopia de infravermelho por refletância total atenuada (FTIR-ATR). A adsorção será mensurada via espectroscopia UV/visível para monitoramento da remoção de cor.

 

Palavras-chave: Celulose Bacteriana, Adsorção, Índigo Carmim, Leito fixo.


Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Pedro Rodrigo Silva Moura
Orientador: Fernando Milanese, Dr.
Data:  22 de julho de 2020 – 09h30 (quarta-feira)
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Avaliação do Processo de Troca Térmica da Seção de Regeneração em uma Planta Piloto de Captura de CO2 por Oscilação de Temperatura.
Banca: Elise Sommer Watzko, Drª.

Elaine Virmond, Drª.

Resumo: As altas emissões de CO2 nos mais diversos segmentos industriais têm impulsionado a busca por alternativas tecnológicas para a captura de CO2. A técnica de adsorção se configura como uma das alternativas promissoras à separação de gases, uma vez que sua demanda de energia térmica para regeneração dos adsorventes é menor que a de processos atuais, que empregam principalmente a absorção como tecnologia. Uma planta piloto projetada para capturar duas toneladas de CO2 por dia e que utiliza uma tecnologia de adsorção em leito movente com oscilação de temperatura para sistemas de pós-combustão está instalada na Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina – SATC. O sistema atualmente encontra-se em período de testes preliminares empregando zeólitas como adsorventes sólidos. Essa planta é composta por quatro seções principais: adsorção, pré-aquecimento, regeneração e recuperação de calor. Um dos pontos críticos na operação dessa planta é a seção de regeneração, ou seja, onde zeólitas com alta concentração de CO2 e umidade são aquecidas para liberar estes dois componentes adsorvidos. Para essa etapa de regeneração, um trocador de calor composto por placas metálicas paralelas é utilizado. Neste contexto, a proposta deste trabalho é avaliar a eficiência de troca térmica da seção de regeneração da planta em estudo tanto teórica e experimentalmente. O sistema opera de forma contínua, empregando uma taxa de recirculação de zeólitas que pode variar de 25 a 75 kg/min. O gás de combustão, usado para aquecer indiretamente as zeólitas, é gerado num queimador de gás liquefeito de petróleo, obtendo-se uma concentração de CO2 que pode variar de 7 a 12 % quando o sistema atinge uma condição de operação estável. O grande diferencial dessa tecnologia é a utilização do próprio calor do gás de combustão para a regeneração do CO2 contido nas zeólitas. Além da efetividade do trocador de calor, espera-se ainda determinar experimentalmente o coeficiente global de transferência de calor e, posteriormente, comparar com valores calculados a partir das correlações descritas na literatura. Ainda espera-se propor possíveis alterações mecânicas na planta visando futuros desenvolvimentos em captura de CO2 na planta instalada.

Palavras-chave: Captura de CO2, Adsorção, Seção de Regeneração, Eficiência Térmica.


Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Gelon de Freitas Leite
Orientador: César Cataldo Scharlau, Dr.
Data:  08 de julho de 2020 – 14h (quarta-feira)
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Análise e Projeto de Uma Topologia de Rede CC com Fonte de Alimentação Ininterrupta para Cargas CC com Contribuição de Energia Solar Fotovoltaica.
Banca: Tiago Jackson May Dezuo, Dr.

Leonardo Elizeire Bremermann, Dr.

Luciano Lopes Pfitscher, Dr.

Resumo: O recente impulso em direção às tecnologias verdes, juntamente com o aumento atual das cargas eletrônicas com alimentação em Corrente Contínua (CC), trazem vantagens potenciais no uso de topologias de Microrrede em CC (MRCC). Entre as vantagens, pode-se citar a possibilidade de um número menor de conversões na alimentação de cargas CC com fontes de geração de energia elétrica em CC como, por exemplo, Módulos Fotovoltaicos (MF).  No entanto, estas topologias quando operadas no modo isolado podem trazer desvantagens como, por exemplo, as variações de tensão no barramento de distribuição em momentos de falta do recurso solar. Este problema pode ser contornado ao utilizar-se uma segunda fonte de energia.  No momento que adiciona-se, a este cenário, cargas CC que necessitem de alta disponibilidade, surgem possibilidades para o estudo e desenvolvimento de uma fonte de alimentação interrupta, do inglês Uninterruptible Power Supply (UPS), como uma alternativa de alta eficiência e de menor custo ao disponibilizar energia proveniente de fonte de energia renovável,  do inglês Renewable Energy Sources (RES),  à cargas eletrônicas. Estas cargas, segundo projeções, estarão cada vez mais presentes nas edificações comerciais, cujo setor tem a vantagem de ter seu consumo congruente com a geração fotovoltaica. Neste trabalho, será apresentado o projeto e os resultados experimentais de duas Topologias de Microrrede Híbrida (TMH) para a alimentação de cargas com necessidade de UPS. Os conjuntos foram implementados em uma edificação na qual funciona um Ofício de Registro de Imóveis, localizado no sul de Santa Catarina, e a alimentação utiliza MF. A análise dos resultados experimentais de uma das topologias demonstra que a carga pode ser alimentada 80% do tempo com energia proveniente dos MFs. O estudo apontou que a topologia proposta pode obter uma eficiência de até 91% ao alimentar as cargas CC com energia proveniente dos MFs, e possibilitar um aumento na eficiência de até 55% em relação adoção de uma topologia de Microrredes CA com UPS. A análise financeira indicou que o custo adicional, da escolha da topologia proposta nesta dissertação ao invés de um UPS tradicional em Corrente Alternada (CA), possui uma taxa interna de retorno de 25,1%, um retorno simples de 4,9 anos e de capital próprio de 4,4 anos. Esta análise considerou que os equipamentos da topologia proposta apresentaram um custo de R$ 7813,40, enquanto a estimativa do preço dos equipamentos UPS CA foi de R$ 5955,42, sendo a comparação realizada entre a compra dos equipamentos do UPS CA ou a adoção da TMH.

Palavras-chave: UPS. Cargas CC. Módulos Fotovoltaicos. Energia de Fonte Renovável


Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Sabrina Camera da Silva
Orientador: Elise Sommer Watzko, Drª.
Data: 03 de julho de 2020 – 09h (sexta-feira)
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Co-combustão de lodo de esgoto sanitário e carvão mineral: Avaliação da influência do percentual de mistura e de umidade.
Banca: Tatiana Gisset Pineda Vásques, Drª.

Thiago Fernandes de Aquino, Dr. – SATC

Resumo: A produção de energia de forma sustentável corresponde a uma das principais preocupações no desenvolvimento da sociedade. O carvão mineral, fonte não renovável, é amplamente utilizado na geração de energia elétrica e térmica, entretanto, é um importante contribuinte para as emissões dos gases de efeito estufa. Mesmo sendo um recurso finito, há um período significativo para sua utilização, merecendo estudos do seu aproveitamento de forma eficaz. O lodo proveniente das estações de tratamento de esgoto oferece riscos ao meio ambiente por suas características patogênicas e presença de contaminantes, além do que quando descartados em aterros utilizam espaço e criam passivos ambientais. A valorização do resíduo lodo de esgoto por meio da co-combustão com carvão mineral pode prover ganhos energéticos, otimizando o uso de carvão e reduzindo a demanda dos aterros. Neste contexto, o objetivo deste trabalho é demonstrar a influência da umidade e do percentual de mistura de lodo de esgoto sanitário no comportamento da combustão e no perfil das emissões durante a co-combustão com carvão mineral em leito fluidizado borbulhante. O número de experimentos foi obtido por planejamento experimental. A caracterização do lodo, do carvão e da mistura será obtida por meio das análises imediata e elementar, já a determinação da velocidade de fluidização será estabelecida com auxílio de bancada de fluidização e as emissões por meio de analisador de gases. Como resultado será determinado o perfil das emissões que será comparado com os limites da legislação vigente no Brasil e na União Europeia, o que permitirá sugerir os melhores percentuais de umidade e de mistura de lodo de esgoto ao carvão mineral como aplicação para geração de energia térmica.

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Nathália Ledra Turnes Bitencourt
Orientador: Ricardo Alexandre Reinaldo de Moraes, Dr.
Data: 01 de Julho de 2020 – 11h (quarta-feira)
Local: Videoconferência (Para acessar clique aqui)
Título: Redes elétricas inteligentes: uma arquitetura para detecção de falhas no domínio da distribuição de energia elétrica
Banca: Luciano Lopes Pfitscher, Dr. – UFSC

Paulo Portugal, Dr. – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Resumo: Interrupções e falhas no fornecimento de energia elétrica são problemas comuns em vários países e muito frequente no Brasil. A implementação de tecnologias relacionadas às Redes Elétricas Inteligentes podem trazer inúmeros benefícios para o sistema elétrico, entre eles está o monitoramento da rede de distribuição e a identificação de falhas no fornecimento de energia. O objetivo principal desta dissertação é demonstrar que tecnologias de comunicações sem fio de longa distância são adequadas na implementação de um sistema de monitoramento da rede de distribuição de energia, para a detecção de falhas com agilidade, proporcionando maior eficiência nos processos de manutenção. Este documento apresenta o projeto de desenvolvimento da dissertação, que é um requisito para o cumprimento do curso de Mestrado em Energia e Sustentabilidade. A execução do projeto se realizará através de algumas etapas, sendo elas: os estudos relacionados com os temas da dissertação, a proposição de uma arquitetura teórica para detecção de falhas no domínio da distribuição de energia elétrica, o desenvolvimento e os testes de um Smart Meter e a avaliação experimental das tecnologias de rede sem fio.

Junho/2020

Início


Minicurso de Fundamentos de Blockchain para o Setor Elétrico
Data: 29 de Junho de 2020
Horário: Manhã (10h às 12h) e Tarde (14h às 16h)
Local: Videoconferência (maiores informações após a inscrição – o acesso através de celular não é recomendado)
A tecnologia Blockchain vem trazendo muitas possibilidades de aplicações em diversos setores. As suas características de contabilidade distribuída, imutabilidade, segurança, etc, corroboram para o surgimento de novas soluções. O setor elétrico vem se mostrando motivado pela adoção desta solução computacional em alguns dos seus processos, entretanto a falta de know how e pessoas capacitadas é um entrave. Diante deste fatores, este curso visa justamente preencher algumas destas lacunas ajudando este setor a entender melhor a tecnologia Blockchain, seus fundamentos principais e algumas aplicações.
Inscrições até dia 23/06 através do link:  http://inscricoes.ufsc.br/fundamentos-blockchain

Defesa de Mestrado PPGES
Aluno: Tiago Alexandre Manenti Silvestrini
Orientadora: Carla de Abreu D´Aquino, Drª
Data: 25 de Junho de 2020 – 14h (quinta-feira)
Local: Videoconferência
Título: DRENAGENS ÁCIDAS DA MINERAÇÃO DE CARVÃO E SUA INFLUÊNCIA NO COMPORTAMENTO DO pH ESTUARINO DO RIO ARARANGUÁ
Banca: Claus Tröger Pich, Dr.

Carlyle Torres Bezerra de Meneses, Dr.

Resumo: O carvão catarinense vem sendo explorado para fins energéticos e metalúrgicos a mais de 100 anos. Devido a carência de planejamento e políticas ambientais, a atividade durante anos não adotou técnicas adequadas, resultando em um grande passivo ambiental pelo seu potencial de formação da Drenagem Ácida de Mina (DAM) (LOPES; SANTO; GALATTO, 2009). Os estuários da região recebem águas com baixo pH, carregadas de acidez e poluentes. Este trabalho teve por objetivo descrever o comportamento do pH no estuário do rio Araranguá pela particularidade de receber efluentes ácidos e promover seu ingresso para as águas costeiras. Condições de pH, temperatura, salinidade, vazão dos rios, pluviometria, direção e intensidade dos ventos e condições de maré foram monitorados por meio de campanhas semanais em 7 pontos na região costeira e estuário. Com uso de análise estatística e correlações qualitativas foi possível caracterizar o comportamento do pH no estuário. O padrão que se verificou durante o desenvolvimento deste trabalho é o de dependência da vazão, e consequentemente pluviometria. Não ficaram evidentes variações do pH em função da maré e ventos. No período avaliado, o estuário operou em Modo Marinho, por mais de 80% do tempo, desempenhando um papel filtrante muito importante, recebendo águas de baixo pH através do rio Mãe Luzia e entregando a zona costeira adjacente água com pH neutro. No restante, o estuário operou em Modo Fluvial, sendo que nesta condição são encontrados flocos em suspensão dispersos por todo o estuário, e em eventos extremos ocorre a exportação para zona de praia sendo percebidos na areia e zona de arrebentação junto a foz. Ficam demonstradas as condições para exportação de águas de baixo pH e de flocos férricos formados em consequência do impacto por DAM para a zona costeira adjacente. Embora ocorra a exportação dos sedimentos contaminados, não foram visualizados pHs ácidos na zona costeira durante estes eventos não deixando clara uma eventual contribuição do estuário do rio Araranguá para acidificação oceânica. Este trabalho incentiva a discussão sobre as relações entre impactos da atividade carbonífera no ambiente estuarino e costeiro, até então pouco apontados, subsidiando possíveis ações preventivas a poluição neste ambiente.

Defesa de Mestrado PPGES
Aluno: Fernanda Dagostin Szymanski
Orientadora:

Coorientadora:

Cláudia Weber Corseuil, Drª

Masato Kobiyama, Dr. (UFRGS)

Data: 30 de Junho de 2020 – 14h (terça-feira)
Local: Videoconferência
Título: Análise de inundação em bacias montanhosas do sul do Brasil por meio de monitoramento e modelagem
Banca: Claus Tröger Pich, Dr.

Gean Paulo Michel, Dr.  – UFRGS

Álvaro José Back, Dr. – UNESC

Resumo: A região de bacias montanhas é muito atrativa devido à paisagem exuberante, o clima frio e porque as terras estão mais disponíveis para serem exploradas. Entretanto, essas regiões são propensas aos perigos naturais, devido à ocorrência de eventos hidrológicos de alta intensidade e ao tipo de relevo declivoso, que aumentam o potencial destrutivo desses locais. O presente estudo objetivou avaliar o grau de perigo de inundação em bacias montanhosas da região sul do Brasil, por meio de monitoramento e modelagem. Realizou-se um levantamento dos registros históricos de inundação, ocorridos em 2007 nas bacias dos rios Molha Coco e Malacara, onde está localizado o município de Praia Grande, sul Santa Catarina. Em maio de 2007 ocorreram nessa região eventos de grande magnitude, causados por uma chuva intensa, em menos 24 horas. Em setembro de 2019 foi instalada uma estação fluviométrica na bacia do rio Malacara. Os dados de vazão medidos referentes aos períodos de 02/01/2020 a 06/01/2020 e 21/01/202 a 26/01/202, foram utilizados para calibração e validação do modelo HEC-HMS, respectivamente. As vazões máximas simuladas pelo HEC-HMS calibrado (NSE de 0,87) foram utilizadas para propagar os hidrogramas no modelo HEC-RAS 2D. Com essas vazões foram gerados mapas de profundidades, velocidades e de perigo de inundação para os períodos de retorno de 5, 10, 50, 101 e 200 anos. Na reconstituição do evento de 2007 foram utilizadas as vazões máximas de 56,36 m³.s-1 e 92,39 para os rios Molha Coco e Malacara, respectivamente, que foram obtidas com os parâmetros calibrados no HEC-HMS e correspondem ao período de retorno de 101 anos. Verificou-se que a extensão da área de inundação, a profundidade e a velocidade da água, simuladas no HEC-RAS 2D, aumentam à medida que a frequência dos eventos diminui. As profundidades de 1 m e as velocidades de 1 m.s-1, predominam em todos os períodos de retorno (TR). Já as maiores profundidades e velocidades foram de 12,82 m (TR=200) e 20 m.s-1 (para todo os TRs), respectivamente. Esses valores foram encontrados nas partes mais declivosas das bacias de estudo, dentro dos canais e nos locais de avulsão. Os mapas de perigo mostraram que, o maior grau de perigo de inundação foi encontrado dentro da calha dos rios e nos locais de avulsão. Nesses locais, existem pousadas, restaurantes e residências, que podem sofrer danos estruturais e expor as pessoas ao perigo de um evento de inundação dessa magnitude. Também, utilizou-se o modelo HAND para verificar o seu desempenho no mapeamento de inundação em regiões montanhosas e obteve-se um F estatístico de 39,6% e o Kappa de 0,35, mostrando que seu desempenho foi razoável.  O presente estudo, demonstrou a importância do monitoramento e modelagem dos processos hidrológicos em bacias montanhosas, possibilitando realizar o mapeamento de perigo de inundação que poderá auxiliar os gestores no gerenciamento de desastres naturais hidrológicos e no planejamento territorial, como forma de prevenção para a ocupação de áreas de perigo de inundação. Para estudos futuros recomenda-se aumentar o monitoramento para a obtenção de dados hidrológicos suficientes para validar os modelos hidrológicos, visando melhorar a precisão do modelo hidrodinâmico e, consequentemente, do mapa de perigo.

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Franciele da Silva Schmoeller
Orientador: Kátia Cilene Madruga, Drª
Data: 24 de Junho de 2020 – 18h30 (quarta-feira)
Local: Videoconferência
Título: Agenda 2030 e energia limpa: análise da meta 7.2 no setor varejista
Banca: Elaine Virmond, Drª. – UFSC

José Carlos Lázaro da Silva Filho, Dr. – UFC



Maio/2020

Início

Defesa de Qualificação PPGES
Aluno: Solange Machado 
Orientador: Giuliano Arns Rampinelli, Dr
Data: 29 de maio de 2020 – 13h30 (sexta-feira)
Local: Videoconferência (Clique aqui para acessar)
Título: Análise do mercado de energia elétrica brasileiro para aplicação da arquitetura blockchain: um estudo para fomentar a digitalização, a descentralização e a descarbonização do setor elétrico.
Banca: Luciano Lopes Pfitscher, Dr.
Ricardo Alexandre Reinaldo De Moraes, Dr.
Martín Augusto Gagliotti Vigil, Dr.
Resumo: A crescente mudança no setor elétrico mundial, principalmente no que tange a geração de energia elétrica, resulta da viabilização técnica e econômica de tecnologias a partir de recursos renováveis, em especial energia solar fotovoltaica e energia eólica. Considerando o âmbito mundial, a geração de energia elétrica ocorre de forma centralizada e em sua maioria utilizando combustíveis fósseis. No entanto, observa-se a substituição deste cenário a partir da inserção da geração distribuída e com recursos renováveis. Essa descentralização da geração de energia acarreta na injeção direta de energia elétrica na rede de distribuição. As principais formas de atribuição de energia à rede, do lado da demanda, são os sistemas fotovoltaicos e os veículos elétricos. Essas tecnologias impactam fortemente na rede de distribuição de energia elétrica, a geração distribuída devido à oferta de energia elétrica; e os veículos elétricos devido à elevada demanda que podem solicitar e aos auxílios no alívio de carga que podem ofertar. Essas diversas formas de atribuir ou solicitar energia à rede devem ser transacionadas de forma segura e eficaz, o que pode ser obtido por meio da tecnologia blockchain. O objetivo desta dissertação é analisar o mercado de energia elétrica brasileiro, nos diferentes ambientes de contratação, considerando a disponibilidade de energia pela geração distribuída e por veículos elétricos na rede de distribuição, a fim de possibilitar a aplicação da arquitetura blockchain por meio da definição de métricas, da validação de um estudo de caso, do estudo da legislação e da regulamentação e dos estudos da tecnologia no âmbito mundial. O estudo ocorrerá nas áreas de conhecimento de engenharia e das ciências exatas e da terra, com a finalidade de pesquisa aplicada e o objetivo é exploratório. A abordagem do estudo será mista e o método de investigação será estudo de caso. Os procedimentos da pesquisa serão revisões bibliográfica e documental do setor elétrico; e procedimento experimental a partir de uma prova de conceito aplicada ao ambiente de contratação livre. Os resultados esperados são maior segurança para transacionar energia e redução de custos ao prossumidor brasileiro, incentivando fontes descentralizadas e veículos elétricos e contribuindo para digitalização, a descentralização e a descarbonização do setor elétrico. Além disso, espera-se reduzir custos às comercializadoras de energia a partir da consolidação de contratos de garantias financeiras, resultantes do trading que essas efetuam entre si mensalmente após as negociações mensais com os consumidores.


Abril/2020

Início

Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Marcelo Marcos Amoroso
Orientador: Ricardo A. R. Moraes
Data: 04 de Abril de 2020 – 14h (terça-feira)
Local: Videoconferência
Título: Metodologia para dimensionamento do sistema de carregamento de veículos elétricos em um estacionamento corporativo com geração fotovoltaica integrada

 


Março/2020

Início

Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Elicson Colombo Martins
Orientador: Luciano Lopes Pfitscher
Data: 03 de Março de 2020 – 08h30 (terça-feira)
Local: Mato Alto – Sala 201
Título: Metodologia para dimensionamento do sistema de carregamento de veículos elétricos em um estacionamento corporativo com geração fotovoltaica integrada

Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Douglas de Matos Magnus
Orientador: Luciano Lopes Pfitscher
Data: 12 de Março de 2020 – 09h30 (quinta -feira)
Local: Mato Alto – Sala 201
Título: Título da dissertação: Novas Abordagens de Projeto de Controladores de Inércia Sintética e de Velocidade para Turbinas Eólicas de Velocidade Variável Baseada em LQR e Controle H∞

 

Fevereiro/2020

Início

Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Rahisa Scussel
Orientador:  Claus Tröger Pich
Data: 17 de fevereiro de 2020 – 09h30 (segunda -feira)
Local: Mato Alto – Sala 204
Título: Avaliação físico-química e toxicológica de lixiviado de cinzas pesadas provenientes da combustão de madeira tratada com arseniato de cobre cromatado tipo

Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Vagner da Silva Rodrigues
Orientador:  Ricardo A. R. Moraes
Data: 18 de fevereiro de 2020 – 10h (terça-feira)
Local: Mato Alto – Sala 201
Título:  Tarifação binômia para consumidores de energia de baixa tensão no Brasil: viabilidade legal e técnica.

Defesa de Dissertação PPGES
Aluno: Guilherme Cancelier dos Santos
Orientador: Elise Sommer Watzko
Data: 28 de fevereiro de 2020 – 14h (sexta-feira)
Local: Mato Alto – Sala 201
Título:  Análise experimental do tempo de residência empregando um protótipo em escala laboratorial visando a adsorção de CO2